sexta-feira, 17 de março de 2023

A salva do canhão gigante

Findada a 2.ª mão dos oitavos-de-final na Liga Europa, eliminada a formação do Arsenal apesar de dois empates em catadupa, e não foram duas vitórias por própria culpa, sendo que ambas as partes podem apresentar essa lamúria, apesar de se aceitar visto não ser uma qualquer eliminatória, antes em casa do primeiro classificado da Premier League, perante a equipe do Esforço, Dedicação, Devoção e Glória, permanece o sonho de ainda poder ser campeão para a história.
Mais uma vez houve invasão dos adeptos visitantes, e os jogadores provaram não ser ineptos perante eles, agora sem o mítico Tiago Fernandes ao leme, que sem tanto brio conseguiu um empate crítico semelhante, sem conseguir permanecer em prova daí para a frente.
Mas foi aí, com a capacidade portante de Emanuel Ferro, que se começou a fincar pé em terreno do perro canhão gigante... agora é uma constante!
Desta vez fez-se valer Adán, que tirou três (pelo menos) do rectângulo, mais o penúltimo penalti do desempate, e pelo meio conseguiu ganhar duplamente na moeda ao ar, e escolher acertadamente em que baliza ia defender e quem ia primeiro executar, sendo que também acabou por ser o Sporting a finalizar, com Nuno Santos a fuzilar e a dirigir-se à bancada dos adeptos leoninos a festejar.
Se no jogo anterior em Alvalade tinha ficado um dissabor com a remontada incompleta, neste não houve tanta cambalhota mas voltou a faltar quem entregasse a encomenda, e um golo do Arsenal logo de prenda.
O momento alto chegou depois do intervalo, um chapéu de Pote do meio-campo que subiu ao céu, qual projéctil catapultado por um legionário de Pompeu, e quando desceu deu um lendário capote de regalo causando sobressalto, permitindo ultrapassar a aflição e o garrote, e dar o mote à equipa para tentar voltar de assalto ao pote. Mas tal não foi conseguido, mais uma vez a eficácia foi um dó sustenido, e o prolongamento intensamente sinuoso e sofrido, apesar da congruência do defendido e construído, porém com alguns erros de inexperiência consentidos que provocaram imensos perigos, mas não fizeram muitos danos pois Adán foi Protector e Protegido.

A Última Profecia (?)

O Leão

O Leão é o animal majestoso, o espírito da coragem, magnânimo, não se entrega a parvoíces, alimenta-se de parvos, ninguém se impõe ao Leão, ...

Mais Manás